Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]


06
Dez13

África do Sul

por O Arrumadinho
Em 2009, tive a oportunidade de visitar a África do Sul de Mandela, um país que sempre me disse muito já que desde que me lembro de existir que se fala lá por casa dessa terra, onde tive uma tia, irmã da minha mãe, emigrada durante muitos anos. 
Não esperava encontrar a África dos sonhos da minha mãe e dos meus avós, moçambicanos de coração, apaixonados pela vida que tinham, mas também nunca pensei ver um país tão desequilibrado e a andar sobre uma corda bamba. Mandela parecia ser a vara que todos seguravam para se manterem equilibrados nessa corda. Agora não há Mandela, só há dúvidas.
Da viagem recordo a tensão que se sente em Joanesburgo, uma cidade de extremos, com um centro que mistura arranha-céus cosmopolitas com outros totalmente abandonados, com vidros partidos e tapumes nas portas e janelas, em que é impossível andar em segurança depois das seis da tarde, e em que muita gente circula em carros blindados e outros, às centenas, amontoam-se dentro de autocarros sobrelotados. Os ricos, ao contrário dos tempos do Apartheid, vivem todos na periferia, em bairros quase exclusivamente de brancos, e é também aí, fora da cidade, que estão já os grandes centros económicos e tecnológicos da maior cidade sul-africana. O centro foi deixado, o dinheiro foi levado para fora, as desigualdades inverteram-se, mas mantêm-se. 
Apostei tudo na cidade do Cabo e numa pequena viagem pela savana que fizemos de jipe. Aí, sim, tive muito do que é a África das histórias que ouço desde pequeno, com um sol único, cores, paisagens, animais, uma sensação muito boa. A Cidade do Cabo está mais degradada do que esperava, mas é, ainda assim, um local de uma beleza natural e cultural única, entalada entre a Table Mountain e o oceano. O Cabo da Boa Esperança, que fica aí a uns 50 km, é visita obrigatória, nem que seja para se sentir e perceber um pouco da história dos nossos descobrimentos.
Todas as viagens valem a pena. Como esta valeu. 
Gostei de lá ter ido enquanto houve Mandela. 
Mas a verdade é que, pelo menos para mim, ele existirá sempre.
O jipe que nos levou numa espécie de safari 

 

 

 

 

O mais perto que estive de Mandela foi aqui, com um exemplar de Lego

A casa de Nelson Mandela, nos arredores de Joanesburgo

 

A praça Nelson Mandela, também fora de Joanesburgo

 

Cidade do Cabo 

Robben Island 

 

 

 Cidade do Cabo

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 10:04


16 comentários

Sem imagem de perfil

De M. a 06.12.2013 às 11:20

Sem desvalorizar o seu texto, mas já está na altura de pararem de falar de África como um país. Quando vai a "Paris não diz a Europa da minha infância, ou a Europa dourada do imaginário colonialista" (meros exemplos).
Foi um grande homem que se perdeu, a espécie humana hoje está bastante mais pobre, mas já eram 95anos estava na altura de descansar.
Sem imagem de perfil

De Sandra G a 06.12.2013 às 11:27

Um grande homem.Mas ninguém é eterno. Agora o que vai acontecer daqui para a frente na África do Sul, é um autêntico mistério.Vamos ver...

Arrumadinho, África, ai África....nasci em Moçambique vim com 4 anos pouco ou nada me lembro, tenho um desejo muito grande e um sonho que é, ir lá, ainda não fui por "n" razões, mas não hei-de morrer sem ir à terra onde nasci, porque não sei explicar mas sinto que "tenho um pedaço daquela terra" dentro de mim........Um dia...... isto vai acontecer, eu vou lá!! :)
Sem imagem de perfil

De homem sem blogue a 06.12.2013 às 11:32

Perdeu-se uma das figuras mais importantes dos últimos anos. Só não aprendeu com Mandela quem não quis aprender. O homem era um poço de lições a cada vez que abria a boca e a cada atitude que tomava.

O que me entristece é, apesar de considerar que Mandela é eterno, acreditar que daqui a dez, quinze anos, poucos jovens vão saber quem foi Nelson Mandela. A importância dele para um país e até para o Mundo.

homem sem blogue
homemsemblogue.blogspot.pt
Sem imagem de perfil

De Alia a 06.12.2013 às 13:05

Eu adoro Cape Town e já lá estive duas vezes, sendo que uma delas fomos de carro desde Durban, a chamada garden route. Não gosto de JNB, cidade insegura, grande, muita desigualdade social. Vou imensas vezes a Nelspruit, fica a 200 km de Maputo, e inclusive os meus filhos nasceram lá, é comum os maputenses atravessarem a fronteira em busca de melhores médicos e aproveitamos para fazer compras.
O Madiba tinha casa em Maputo e era um homem acessível, simpático e muito amado pelos moçambicanos, vai fazer falta.
Sem imagem de perfil

De POC a 06.12.2013 às 13:22

Thundercats <3
Sem imagem de perfil

De Tita a 06.12.2013 às 14:31

O mais perto que "estive", não é?

De resto, estás um borrachinho na foto que diz "Cidade do Cabo"!
Sem imagem de perfil

De lucia a 06.12.2013 às 15:22

Realmente Arrumadinho, tive?????

Eu tou, tu tás, ele tá, nós tamos, vós tais eles tão, verbo tar!!!!!
Sem imagem de perfil

De A Pipoca Arrumadinha a 06.12.2013 às 18:24

Foi um bom homem!
Sem imagem de perfil

De Susana Trindade a 06.12.2013 às 19:28

Esse exemplar do Nelson Mandela é lindo e feito de missangas (ao invés de lego), em bom jeito sul africano.
Sem imagem de perfil

De Joana a 07.12.2013 às 12:14

Que post tão tiro ao lado Arrumadinho! Ninguém o obrigava a ser hipócrita e dizer-se muito sentido com a morte de Mandela (bastava o silêncio). Mas este "ah e tal, o Mandela morreu mas eu estive na África do Sul e apertei a mão ao seu boneco e vi leões e tirei estas fotos todas e vou agora repescá-las só para me verem mais uma vez" teve um bocadinho de mau gosto.
Gosto de o seguir, mas este foi um dia não.
Imagem de perfil

De O Arrumadinho a 09.12.2013 às 12:42

Cara Joana, o que me parece ter sido verdadeiramente ao lado foi o seu comentário. Por que raio é que acha que seria hipócrita lamentar a morte de Nelson Mandela? Leu alguma coisa no meu texto que indiciasse que eu não o admiro? Admiro. Muito. É, desde que me lembro de existir, uma das minhas maiores referências de vida, um homem que aprendi a admirar nas histórias que ouço desde criança. O que me parece é que numa altura em que todas as televisões, jornais, revistas, sites, redes sociais estão inundadas de textos sobre a vida de Mandela, com lamentos sobre a morte da vida de Mandela, eu optei por fazer diferente e recordar o momento em que estive na terra dele. Poderia até ter preferido ler aqui um texto igual a tantos outros que por aí andam, alguns de grande valor histórico, outros nem tanto, e ler aqui mais uma entre milhares de opiniões sobre a morte de Mandela. Mas eu não o fiz, simplesmente porque não quis. Ser diferente tem muitas vezes este preço: haverá sempre quem ache que temos obrigação de fazer o mesmo que os outros. Eu não acho. E procurarei sempre ser original. Se quer mesmo ler coisas sobre a morte de Mandela, a vida de Mandela, lamentos sobre a morte de Mandela, tenho a impressão de que, por estes dias, não terá grandes dificuldades em encontrar.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 10.12.2013 às 20:05

Porque é que não aprovou o meu comentário? Epá, eu venho cá imensas vezes, comento outras tantas e agora fiquei melindrada! Censurou-me por dizer que foi umbiguista? Imagine se viesse para aqui usar palavrões :( Desta é que eu não estava à espera.
Sem imagem de perfil

De Rui A. a 08.12.2013 às 19:35

Ficará para sempre imortalizado pelo que os Sul Africanos conseguirem fazer do seu país.

O tempo ainda é curto, mas esperemos que sigam o bom caminho.

Comentar post


Pág. 1/2




A minha segunda casa


Sigam-me


Os meus livros


Sigam-me no SAPO

foto do autor


Coisas mais antigas

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D




Google Analytics



SAPO Blogs