Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]


05
Jan16

O fim do Lisboa Comedy Club

por O Arrumadinho

comedy.jpg

 

Quando há pouco mais de um ano abriu em Lisboa o primeiro clube de comédia achei que estava ali um espaço que fazia mesmo falta à cidade, e que não só seria um êxito como iria promover muitos novos talentos da comédia, um pouco como fez o "Levanta-te e Ri" quando apareceu na SIC, há muitos anos. Mas não aconteceu nada disto. O clube não funcionou e, agora, fechou (ou mudou de morada, como é dito na versão oficial — ou seja, passou para a sala do Villaret, onde há muito tempo que há espetáculos de stand-up). 

Quando fui ao Lisboa Comedy Club pela primeira vez achei o espaço simpático, mas pouco acolhedor. A sala de cima, tipo café/bar, não era propriamente confortável, as mesas e as cadeiras eram demasiado ao estilo café de bairro, e faltava ali alma. A sala de baixo, onde se realizavam os espetáculos de humor, era mais engraçada, bem organizada e confortável. Assisti a um espetáculo do João Pinto (o humorista das "cigonhas") e gostei. Quis voltar algumas vezes e tive sempre o mesmo problema: não fazia ideia do que iria acontecer no clube. Para lá de todos os outros problemas que o espaço, ou o negócio, pudesse ter, este, para mim, enquanto cliente, era o mais grave. Eu queria ir lá, mas nem no site nem na página de Facebook estava disponível o cartaz. O investimento em comunicação foi nulo e isso é fatal para uma casa de espetáculos, sobretudo uma nova casa de espetáculos, que ainda precisa de crescer e de entrar nos hábitos das pessoas. Ninguém vai ao Coliseu dos Recreios à quinta-feira à noite só porque sim, sem saber quem é que vai atuar. Ninguém vai a um clube de comédia sem saber se se passa alguma coisa naquela noite, ou não, porque há dias em que, efetivamente, não há atuações. E isto ajudou a matar o projeto, tenho a certeza.

 

A qualidade dos humoristas pode ter sido outro dos problemas. Assisti, no Canal Q, a toda a série "Graças a Deus", gravada no Comedy Club, com dezenas de humoristas diferentes (escrevi sobre isso aqui). Alguns tinham graça, potencial, e com tempo tenho a certeza de que iriam conseguir evoluir e criar números bons, mas a maioria era fraquinha. Ainda assim, vi os números de todos eles até ao fim. Mesmo quando o stand-up não tem graça é bem-disposto, e quando não tem graça absolutamente nenhuma é engraçado pelo constrangimento que causa a quem assiste (vergonha alheia), tipo as piadolas do David Brent no "The Office". Agora, para eu ir assistir a um espetáculo preciso de saber que ele vai acontecer, e no Lisboa Comedy Club nunca o conseguia saber.

 

Podem ler a notícia do fecho do Lisboa Comedy Club aqui.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:00




A minha segunda casa


Sigam-me


Os meus livros


Sigam-me no SAPO

foto do autor


Coisas mais antigas

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D




Google Analytics



SAPO Blogs