Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]


Foi tornado público recentemente o novo código da Publicidade, que obriga a que os blogues identifiquem como publicidade o conteúdo comprado, acabando com a espécie de lei da selva que existia até agora na blogosfera. Tudo a favor. Ninguém está a proibir os blogues de fazer publicidade, está-se apenas a impor que os autores expliquem aos leitores que não estão a escrever de forma totalmente desinteressada, mas sim porque houve uma qualquer contrapartida, em dinheiro, produto ou experiência.

Muito bem.

Até aqui, quase nenhum blogue o fazia. Mas na verdade não acho que isso fosse um grande problema, porque quase nenhum blogger tinha talento para conseguir transformar um post comercial num post interessante, logo, toda a gente topava a léguas que aquilo era um post pago.

 

As regras mudaram. E agora?

As regras mudaram e, agora, deveria instalar-se uma espécie de pânico com um medo generalizado de se perderem as parcerias que existiam até agora. Só que não. Está tudo na mesma. Nada mudou. E porquê? Porque os bloggers assobiaram para o ar. E é isso que vão continuar a fazer. Porquê? Porque esta é uma daquelas regras impossíveis de fiscalizar.

Existem, em Portugal, dezenas de milhares de blogues. Desses, apenas uns 20 têm alguma relevância, e desses 20 só uns 10 é que despertam algum tipo de interesse comercial. Logo, é sobre esses que vão incidir todos os olhos. Por serem os que têm mais leitores serão também estes os mais escrutinados e alvos de denúncia em casos suspeitos (sim, as "investigações" só existem após a denúncia de leitores).

Mas vamos supor que há uma denúncia e é aberto um inquérito. O autor é chamado e diz que não senhor, não recebeu nada para escrever aquilo, que escreveu porque quis e gostou de um produto ou de uma experiência. E depois? O que é que se segue? Tem de apresentar fatura? E se já a tiver perdido? Como é que tudo isto se prova? É a palavra de um contra a suspeita de outro. Resultado: não vai dar em nada.

Reitero o que disse: acho muito bem que haja esta legislação, acho um ótimo princípio dizer aos leitores que estamos a ser pagos para escrever qualquer coisa, mas não me parece que seja possível controlar se estas regras são efetivamente cumpridas ou não. E, como diz o título deste post, é que aposto que todos os bloggers vão assobiar para o ar. E vão fazê-lo porque a maioria das marcas não aceita que um post tenha a indicação que é comercial. As marcas que querem assumir essa estratégia procuram quem sabe comunicar dessa forma, e, na minha opinião (interessada, sim, mas honesta), só a Ana Garcia Martins (A Pipoca Mais Doce) e a Sónia Morais Santos (Cocó na Fralda) é que o sabem fazer muito bem. Outros tentam, mas não conseguem eliminar os néons que gritam ISTO É PUBLICIDADE, ISTO É PUBLICIDADE ao longo dos textos comerciais.

Por isso, e porque não querem perder o dinheiro, os produtos ou experiências que vão recebendo, os bloggers vão continuar a fazer o que sempre fizeram, a escrever sobre aquilo que gostam e sobre aquilo que lhes pagam para escrever, sem grandes problemas com isso.

 

O exemplo dos jornalistas

Sou jornalista há 20 anos, por isso sei bem que este tipo de contrapartidas (dinheiro, produtos e experiências pagas) existem e sempre existiram nas redações de jornais e revistas. Há 15 anos, por exemplo, havia um jornalista que recebia dinheiro para escolher as fotos certas que seriam publicadas: tinham de ser fotos de desportistas de determinada equipa em que se visse bem o nome do patrocinador. Esse patrocinador pagava ao jornalista para isso. E ele fazia-o. 

Eu, como redator, recebi muitas vezes ordens de chefes que me pediam para escrever determinados artigos que eu sabia que tinham interesses comerciais por trás. E isto não aconteceu há 20 anos, aconteceu há muito pouco tempo. Os jornalistas das áreas de moda, automóveis, tecnologia, por exemplo, são constantemente convidados para viagens, experiências, recebem produtos de todos os géneros, brindes a toda a hora, e escrevem muitas vezes sobre isso sem qualquer indicação de que é uma coisa comercial. 

Tudo isto é condenável e eticamente incorreto? Sim, é. Mas tudo isto existe e existe em perfeita impunidade há dezenas de anos. A lei não é cumprida, mas toda a gente assobia para o ar.

Os jornalistas, bem como os bloggers, devem ser editores, devem fazer opções editoriais sobre o que é importante e relevante ou não. E é preciso sempre analisar caso a caso, situação a situação. E analisar com bom senso, e não apenas porque houve uma denúncia.

Acho bem que existam regras, mas também não tomo os leitores por burros, e sei bem que eles conseguem perceber se um texto é encomendado ou não. Acredito e quero continuar a acreditar que isso vai ser assim.

Ou seja, ninguém vai respeitar esta nova regra, mas também não acho que os leitores saiam muito prejudicados.

Vocês não são estúpidos.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:43


18 comentários

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 25.05.2015 às 17:24

Ok, e tu como jornalista há 20 anos, como é que consegues passar entre os pingos da chuva?
Sendo que os leitores não são parvos, também percebem que existe uma incompatibilidade gigante em ser jornalista e blogger com receitas de publicidade. Legalmente não podes acumular as duas funções. Ou optas por uma, ou pela outra. Estás em incumprimento ou é só impressão?

Imagem de perfil

De O Arrumadinho a 25.05.2015 às 17:58

Caro anónimo. Eu, precisamente por ser jornalista, e por ter um blogue com muita visibilidade, sou muito mais escrutinado pelos leitores, pelos outros jornalistas, pela Comissão da Carteira Profissional de Jornalistas. E não há qualquer incompatibilidade nas duas coisas. O meu blogue tem publicidade da mesma forma que os jornais têm publicidade, as revistas têm publicidade e os sites informativos têm publicidade.
Existe um departamento comercial do blogue - que é o do Sapo - que negoceia, aprova e insere a publicidade no blogue. Eu não tenho nenhuma relação com as marcas nem a publicidade que existe no blogue condiciona em nada o que escrevo editorialmente, tal como acontecia nos jornais e revistas onde trabalhei.
Sem imagem de perfil

De Jacinto a 26.05.2015 às 13:28

Olá Arrumadinho,

Então do seu artigo posso perceber duas coisas.
1.º os leitores não são burros.
2.º os bloguer's não têm que cumprir a lei, se souberem assobiar, assobiam para o ar... os que não souberem é que estão tramados.

Gosto de seguir o seu blogue mas este artigo era desnecessário... Por estas e outras se percebe o estado do país... Isto é só mais um mau exemplo, dos pequenos, diga-se, mas um mau exemplo!
Imagem de perfil

De O Arrumadinho a 26.05.2015 às 15:14

Caro Jacinto. Em momento algum digo que os bloggers não devem cumprir com a lei. Pelo contrário. Digo várias vezes que concordo com ela e adoraria que os bloggers a adotassem, mas sei que isso não vai acontecer, porque conheço a posição de muitos deles em relação a este tema, e sei que muitos não vão estar sequer preocupados com a existência de uma nova regra: vão fazer tudo como dantes, assobiando para o ar. Isto é o que eu sei que vai acontecer, mas não é o que eu desejo que aconteça.
Também acho que se fez uma lei mas não se pensou nos mecanismos para a controlar, o que irá fazer com que 99 por cento dos visados na lei não a cumpram. Uma vez mais, não concordo que não se cumpra, mas sei que é o que vai acontecer.
Sem imagem de perfil

De Anonimo sem blog a 26.05.2015 às 15:33

A esses é denunciar. Qual o problema. E os bloggers que cumprem deviam faze-lo.

PS: aquele texto do Luso com gás não era publicitário?
Sem imagem de perfil

De Catarina a 25.05.2015 às 17:42

Não acho nada que a Sónia escreva bons posts publicitários... Topam-se a léguas e tipicamente são chatos e secos, directos ao assunto para despachar e receber o cachê.
A Pipoca concordo - dé sempre um toque pessoal, contextualiza e nota-se que há uma preocupação em aprofundar o conhecimento do produto. Também acho que quase sempre os produtos encaixam que nem uma luva no perfil dela e (da maioria) das pessoas que a seguem, além de estarem identificados. clap clap para a tua mulher, que aliás é a pioneira na rentabilização e massificação dos blogs em Portugal - grande boss!
Sem imagem de perfil

De Sónia a 02.06.2015 às 00:08

Assino por baixo.

Não sou contra a publicidade desde que seja identificada como tal. Aí, a Ana Garcia Martins dá cartas porque, além de escrever de uma forma absolutamente deliciosa (e não o digo para parecer bem e/ou passar graxa), é honesta no que à publicidade diz respeito.

Já o blogue da Sónia Morais Santos tem carradas de.publicidade, sem estar referida. E quando à questionam.sobre tal ainda se arma em sonsa. O espaço dela já teve muita qualidade, mas tem vindo a perdê-la. Hoje em dia bem que faz justiça ao nome: não passa dum grande cocó..
Sem imagem de perfil

De Jéssica a 25.05.2015 às 17:44

acho muito bem, aqui há tempos fui a um blog (não direi qual) à procura do protetor solar que a autora usava e fiquei sem perceber, porque de 3 em 3 dias publicava protetores de marca diferente e dizia que eram todos fantásticos.
Sem imagem de perfil

De Língua Afiada a 25.05.2015 às 17:56

Tens toda a razão só os principais blogs serão escrutinados, a maioria dos bloggers irá assobiar para o lado e parte do problema é causado pelas marcas que querem fazer publicidade dissimulada.
A questão é que só quem sabe fazer as coisas bem-feitas consegue realmente ganhar dinheiro com um blog e mais tarde ou mais cedo ter uma estratégia comercial e ser transparente será o único caminho.
http://a-lingua-afiada.blogspot.pt/2015/05/blogues-obrigados-assinalar-publicidade.html
Sem imagem de perfil

De Ana S a 25.05.2015 às 19:31

ha anos que os bloggers e vloggers Ingleses e Americanos tem que divulgar se um post ou um video foi pago e fazem-no sem problemas. Ha bloggers Inglesas que eu sigo que ate marcam com um * os produtos que foram recebidos do departamento de RP das marcas e os que foram comprados. Eu sinceramente acho que a unica forma de se estar num blog e nas redes sociais é sendo transparente porque isso inspira confiança dos leitores. Eles nao se importam de ver conteudos pagos se os conteudos forem bons. Agora o que nao concordo contigo é que nada va mudar porque tu achas que o problema acaba no blogger, como ja aconteceu no Brasil as autoridades mais depressa vao as marcas para confirmar se houve contrapartida e o blogger é logo apanhado na mentira. As marcas sabem da legislaçao e vao so trabalhar com quem cumpre as regras e a lei porque senao nao so o blogger fica mal, mas a marca ainda fica pior. (sorry nao tenho acentos)
Sem imagem de perfil

De CLAUDIA a 25.05.2015 às 22:03

"Tem de apresentar fatura? E se já a tiver perdido?"

Pelas leis actuais todas as facturas emitidas têm que ser declaradas à AT na plataforma digital que existe para o efeito e que se designa por e-factura. Se a factura existiu a AT deve ter conhecimento dela e a sua existência e papel é apenas um pro-forma, portanto o argumento 'perdi-a' não é válido nem aceitável.
Sem imagem de perfil

De Língua Afiada a 26.05.2015 às 09:35

Não sou obrigada a colocar o NIF numa fatura de um perfume. Além disso posso alegar que foi um presente do marido, da amiga, da tia.
Concordo com o comentário anterior se forem questionar as marcas talvez a coisa resulte se forem questionar os bloggers não terão grandes resultados.
Imagem de perfil

De Vanessa a 26.05.2015 às 10:26

Faço parte daquele pequenino grupo (acho eu que é pequeno) que quando vê um blog com muita publicidade, perde o interesse nele. Não vejo qual seja o problema de ser colocada uma nota nesse post a dizer que foi pago, dado a experimentar ou wtv. Existe? É que todos sabemos que esses produtos foram financiados de alguma forma, ninguém é parvo. Até porque nesses 20 blogs famosos, possivelmente 15 falam todos do mesmo produto, no mesmo dia. São piores que a televisão! Por isso, sendo lei ou não, tanto faz!
Sem imagem de perfil

De Catarina a 26.05.2015 às 11:33

Caro Arrumadinho, concordo plenamente com esta nova lei. Como blogger acho que já desde há algum tempo que não há um único post publicitário que qualquer outro blogger escreva que eu não tope a léguas que é publicidade (incluindo os da Sónia e os da Pipoca, que sinceramente são mesmo muito mauzinhos)! Mal começo a ler um post em qualquer um destes blogs consigo perceber se é completamente desinteressado ou não, o que faz perceber que a publicidade como se faz cá em portugal é muito, mas mesmo muito mal feita, tanto pela parte das marcas como pela dos bloggers, mesmo aqueles que conseguem viver do seu blog. Tomem-se como exemplo os blogs estrangeiros, só porque já têm muito mais experiência nisto que nós, e perceba-se o que são realmente bons posts publicitários, com conteúdo que não foge àquilo que é o trabalho do blogger e à forma como ele apresenta normalmente os seus conteúdos e que não precisa de uma estória mal contada para poder ser integrado no mesmo.
Sem imagem de perfil

De Rita a 26.05.2015 às 13:48

Acho fantástico que se legisle sobre o tema e devo dizer que a Pipoca é muito clara quando faz publicidade.
Já a Sónia (de quem gosto imenso atenção) não indica quando um post é publicidade, e até o nega, como quando foi do Take Away do Pingo Doce.
Sem imagem de perfil

De A Pipoca Arrumadinha a 26.05.2015 às 15:23

A lei que impera!

Comentar post


Pág. 1/2




A minha segunda casa


Sigam-me


Os meus livros


Sigam-me no SAPO

foto do autor


Coisas mais antigas

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D




Google Analytics



SAPO Blogs